A importância da poda na Agrofloresta-Regeneração e crescimento

Poda e sintropia, energia de regeneração no sistema.

Diversos estudos mostram a importância das podas em várias culturas frutíferas. Por exemplo, os parreirais de uva ou o estabelecimento de cítricas produtivas normalmente veem acompanhados de manuais de podas. No geral esses manuais são voltados a saúde do indivíduo e focam na produção de frutas. Porém um assunto que não é muito abordado é como plantas próximas se afetam depois da poda.

O primeiro benefício da poda é disponibilizar matéria orgânica no solo. Ao efetuar a poda e deixar o material no solo, esse material se decompõem, permitindo que o ciclo de nutrientes aconteça, liberando nutrientes no camada superior do solo.

Esse processo acontece através dos micro e macro organismos do solo. Esse processo natural é o que gera fertilidade no solo.

Outro ponto é a comunicação entre as árvores pós poda.

Que as plantas se comunicam é fato, não é mais só papo de bicho grilo. É comprovado pela ciência em diversos estudos. Os Céticos Cientistas agora continuam a explorar e tentar entender como essa comunicação acontece. Já comprovado em alguns estudos temos a comunicação por Compostos Voláteis Orgânicos e por Hormônios.

E a poda?

A questão é que quando podamos as árvores em uma Agrofloresta a informação que se espalha pelo sistema é  de regeneração.

Apenas observando, vemos a inteligência da natureza. A floresta estabelecida tem seu crescimento vegetativo “normal”, ao cair uma árvore na floresta ela abre uma clareira na área ao seu redor. No momento que isso acontece a floresta precisa se regenerar com uma velocidade muito maior.

Aquele pedacinho de floresta onde caiu uma árvore grande, que gerou um distúrbio, e se abriu uma clareira, é como se fosse uma ferida aberta, e toda ferida aberta precisa curar o mais rápido possível, e é isso que acontece.

O crescimento vegetativo em áreas que por algum motivo se abre uma clareira, é muito mais acelerado do que em uma área de floresta secundária estabelecida.

Isso ocorre por uma conjuntura de fatores. Matéria orgânica no solo, entrada da luz do sol e comunicação de regeneração no sistema florestal.

Observando a natureza, e tentando replicar nos sistemas Agroflorestais Sintrópicos. Nosso objetivo é sempre manter as podas em dia, para aproveitar todos esses benefícios.

A melhor época para as podas de formação nos sistemas Sintrópicos é no fim do Inverno/Começo da Primavera, mas isso já é papo para um post inteiro.

E ai? Já pegou a tesoura e o serrotinho de poda? Bora podar?

Pedro Savério Penna

Formado em Ecoturismo e com especialização em Marketing e Negócios, gerencia uma empresa de Pesquisa de Mercado. Vive divido entre São Paulo e Piedade no interior, onde desenvolve seu projeto Agroecológico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *