Ernst Gotsch- O cara!

A história desse blog e a minha história na Agricultura tem uma quebra de dormência desse cara o Ernest. Eu diria que essa semente já estava em mim, mas ela se encontrava em dormência. Já havia pesquisado bastante sobre o tema, namorava essa idéia de desenvolver um projeto nessa área,  porém continuava lá apenas no plano das idéias. Quando conheci a sintropia a semente germinou.

Quando comecei a criar minhas galinhas, com a hortinha indo bem, e buscando sempre introduzir espécies novas no meu pomar bateu a vontade da auto-sustentabilidade alimentar, um sonho com cara de utópico que foi tomando formas. Depois da minha primeira roça de milho e mandioca sabia que tinha alguma coisa errada, e queria entender como produzir bem sem precisar injetar vários insumos e um monte de tranqueira que eu nem bem sabia o que era. Comecei a pesquisar sobre adubação verde e  foi ai que mandei uma mensagem para meu amigo o Alexandre Suchodolski que eu sabia que estava mais engajado na Permacultura. Ligamos o Skype, já que a diferença de Estados e Cidades não permitiu um encontro real,  batemos um bom papo, super empolgado, ele já me deu várias dicas e propostas de plantio, mas fora isso ele me disse sobre o Juã de Brasília e o Ernest Gotsch, acabei a conversa e direto para internet.

E achei esse vídeo:

Um monte de coisa que estava por ali, naquela sementinha que eu já guardava foi traduzida por esse conceito!

O Rômulo fala algo assim em um trecho do vídeo, a sensação é que a idéia sintetiza um monte de coisa que eu já buscava.

Não deu outra, bateu! Bateu no sentido que naquele momento eu sabia o que queria e agora era buscar desenvolver.

Achei o  ➡️Sítio Semente e o curso de SAF que na hora me inscrevi  então começou minha jornada de aprendizado.

Voltando ao Ernest, ele é o cara! Além de traduzir e sintetizar seus conceitos de sintrópia, mostrando a viabilidade de uma produção de comida em harmonia com a natureza, considero o Ernest não apenas um agricultor com ótimas técnicas mas também um filósofo moderno. Estudando, vendo seus vídeos e tendo o prazer de fazer o curso com ele pelo  ➡️Agenda Gotsch , o vejo como filósofo sendo capaz de divagar sobre as nossas motivações, o prazer do trabalho quando se trabalha com a vida, a importância da coragem civil com ética para desenvolver o que acredita, o paraíso que vivemos mas que temos imensa dificuldade de aproveitar e o papel atual de “Homo Ignorantis”que nos prestamos. Se contrapondo ao Antropocentrismo moderno o Ernest tira totalmente o homem do seu papel central e dono da verdade, base das teorias modernas, e o coloca e um papel mais harmônico apenas como mais um na engrenagem do sistema. 

Uma frase emblemática do Ernest:

“O ser humano tem que entender que ele faz parte de um sistema inteligente, e não é ele o inteligente.

Ele sempre divaga sobre a importância de criarmos áreas de inclusão permanente do homem, e não áreas de proteção permanente, e como é loucura termos que criar áreas para protegermos o meio ambiente de nos mesmos, e como falta integração entre o homem e o meio.

Com sua visão do todo ele consegue juntar todos pontos em sua teoria de vida traduzida em conceito: Agricultura Sintrópica. Ele é o cara!

Fica aqui uma palhinha nesses vídeos:

Trip Transformadores:

 

Agenda Gotsch- Vida em Sintrópia:

 

Workshop Ernest – 2011 em Portugal

No site do Agenda Gotsch tem uma seção dedicada ao vídeos que são muito bons!

Veja aqui➡️ Agenda Gotsch Vídeos

Pedro Savério Penna

Formado em Ecoturismo e com especialização em Marketing e Negócios, gerencia uma empresa de Pesquisa de Mercado. Vive divido entre São Paulo e Piedade no interior, onde desenvolve seu projeto Agroecológico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *