Estratos Florestais e Classificação Sucessional – entendendo a Agrofloresta

Uma das principais chaves da agrofloresta é a sucessão temporal, na minha opinião, essa é uma das principais dificuldades principalmente quando penso a longo termo a Agrofloresta.

As Classes Sucessionais são normalmente dividas em:

Colonizadoras

Pioneiras

Secundárias Iniciais

Secundárias Tardias

Clímax

O Ernst Gotsch fala em Placenta e Embrião, sendo esse momento o início da floresta, que irá proporcionar o crescimento das próximas sucessões, sendo ela a Colonizadora que irá propiciar a entrada das Pioneiras no sistema.

Nesse vídeo dá para ter uma idéia de como ele organiza essa lógica.

Para entender o que plantar e adicionar no sistema nos diferentes momentos é essencial entender os estratos.

Os Estratos Florestais são normalmente divididos em:

Estrato Baixo

Estrato Médio

Estrato Alto/Dossel

Estrato Emergente

Em um mesmo momento sucessional plantas de todos os estratos co-habitam, formando assim a floresta.

Para tentar entender os estratos vale imaginar que a quantidade de sol é o determinante para essa planta existir, se a planta for de Estrato Baixo por exemplo ela vai aceitar uma maior quantidade de filtros/ árvores em cima dela.

Já uma planta emergente vai precisar de sol pleno. Mas ai que entra a questão, um milho por exemplo é uma emergente, que irá viver no tempo sucessional inicial de colonizadora, e um eucalipto também é uma emergente porém uma emergente secundária/clímax.

Temos nas Florestas esses dois fatores sendo determinantes para a sucessão e ocupação das areas.

Os Ipês por exemplo são árvores de estratos alto/dossel  secundárias tardias, o que isso significa?

Basicamente que é uma planta que vai aceitar viver uma parte da sua vida em baixo das outras, mas seu objetivo é subir para ocupar seu espaço no estrato alto. Uma grande parte da sua vida o Ipê irá viver embaixo de um mamoeiro ou uma embaúba, pois são pioneiras, por exemplo, mas seu crescimento irá ultrapassar essas outras emergentes e quando isso acontecer as emergentes pioneiras não terão mais seu lugar ao sol.

A classificação sucessional da planta normalmente determina a velocidade de crescimento e a sua capacidade de viver os primeiros anos na sombra, uma pioneira só irá germinar em clareiras ou espaços que ainda não tenham a floresta desenvolvida, de contra partida uma secundária inicial aceitará a sombra que as pioneiras geram para germinar e crescer, e assim sucessivamente.

Pensando na regeneração natural a semente germina em um lugar que já existem Pioneiras, esse solo já está melhor preparado para receber as Secundárias, que irão crescendo em baixo das Pioneiras porém com a sucessão temporal irão ocupar o lugar das Pioneiras e assim as pioneiras saem do sistema.

Entender cada árvore sua classificação sucessional e seu estrato é a chave para otimizar uma agrofloresta, e saber quando é hora de entrar ou sair com algumas culturas.

Uma grande dificuldade que eu tenho é saber qual é o estrato e a classificação sucessional de cada planta que eu gostaria de plantar, é sempre um desafio achar material bom com essas informações.

E você concorda? Tem alguma dica?

 

PS: O Felipe Lopes recomendou nos comentários um material excelente que tem uma lista com diversas espécies e seus estratos fica o link: ➡️Guia Técnico Restauração Ecológica com Sistemas Agroflorestais

 

Pedro Savério Penna

Formado em Ecoturismo e com especialização em Marketing e Negócios, gerencia uma empresa de Pesquisa de Mercado. Vive divido entre São Paulo e Piedade no interior, onde desenvolve seu projeto Agroecológico.

8 comentários em “Estratos Florestais e Classificação Sucessional – entendendo a Agrofloresta

  • dezembro 8, 2017 em 12:53 am
    Permalink

    Não conheço nenhum livro específico sobre as plantas, seus estratos e classes sucessionais. Seria muito legal uma indicação. Alguém aí?

    Resposta
    • dezembro 11, 2017 em 12:48 pm
      Permalink

      É eu também não… Seria uma boa se alguém tivesse alguma indicação, seria muito legal passarem, já procurei até em material botânico mas as terminologias são diferentes e normalmente eles classificam só em duas categorias as que precisam de muito sol e as que aceitam mais sombra…

      Resposta
  • dezembro 25, 2017 em 5:04 pm
    Permalink

    Gosto de lhe acompanhar, parabéns, são publicações honestas. Em relação aos estratos e classificação de acordo com a sucessão natural a ideia é esta mesmo, não haver receitas de bolo. Tenho dificuldade com isso também, mas sugiro pesquisar sobre Cálculo e Interpretação da Estrutura Vertical da Floresta ou assuntos relacionados e vamos formulando nossas conclusões para compartilhar e assim reformular conclusões conjuntas.
    Abraço! Continue com o trabalho.

    Resposta
      • Fevereiro 2, 2018 em 11:04 am
        Permalink

        Veja só Pedro, se Já não o possui, procure pelo livro “Guia Técnico Restauração Ecológica com SAFs”, além de ser excelente em todo seu conteúdo, mais especificamente na página 223 eles fazem um apanhado geral que pode somar nesse assunto. Paz e forte abraço!

        Resposta
        • Fevereiro 2, 2018 em 1:35 pm
          Permalink

          Obrigado Felipe!! Sensacional esse material!! Estava procurando faz tempo! Tinha a indicação do livro da Fabiana Peneireiro mas só com essas infos tava difícil de achar! muito obrigado! vou gerar o link aqui!! abs bons plantios!

          Resposta
  • Janeiro 26, 2018 em 11:09 pm
    Permalink

    Muito bom o texto, explicita de forma simples a ideia de estratos e sucessão do sistema agroflorestal. Realmente é um grande problema esta questão, você quer inserir uma planta no seu projeto ou agrofloresta, mas não sabe a taxa de crescimento, a necessidade de luz e ainda o estrato varia muito de acordo com as fontes. Isso dificulta para quem não tem experiência e quando você precisa usar espécies desconhecidas da região(exóticas)

    Se alguém conhecer informações sobre algumas espécies de cada estrato e puder compartilhar ajudaria bastante, com o tempo vamos criando um compêndio rsrs

    Resposta
    • Janeiro 31, 2018 em 11:48 am
      Permalink

      Obrigado Luann! É realmente varia muito de material para material a classificação, acho que só com experiência para descobrir pra valer!
      Um compilado dessas infos seria perfeito! Abs bons plantios!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *