Estratos Florestais e Classificação Sucessional – entendendo a Agrofloresta

Uma das principais chaves da agrofloresta é a sucessão temporal, na minha opinião, essa é uma das principais dificuldades principalmente quando penso a longo termo a Agrofloresta.

As Classes Sucessionais são normalmente dividas em:

Colonizadoras

Pioneiras

Secundárias Iniciais

Secundárias Tardias

Clímax

O Ernst Gotsch fala em Placenta e Embrião, sendo esse momento o início da floresta, que irá proporcionar o crescimento das próximas sucessões, sendo ela a Colonizadora que irá propiciar a entrada das Pioneiras no sistema.

Nesse vídeo dá para ter uma idéia de como ele organiza essa lógica.

Para entender o que plantar e adicionar no sistema nos diferentes momentos é essencial entender os estratos.

Os Estratos Florestais são normalmente divididos em:

Estrato Baixo

Estrato Médio

Estrato Alto/Dossel

Estrato Emergente

Em um mesmo momento sucessional plantas de todos os estratos co-habitam, formando assim a floresta.

Para tentar entender os estratos vale imaginar que a quantidade de sol é o determinante para essa planta existir, se a planta for de Estrato Baixo por exemplo ela vai aceitar uma maior quantidade de filtros/ árvores em cima dela.

Já uma planta emergente vai precisar de sol pleno. Mas ai que entra a questão, um milho por exemplo é uma emergente, que irá viver no tempo sucessional inicial de colonizadora, e um eucalipto também é uma emergente porém uma emergente secundária/clímax.

Temos nas Florestas esses dois fatores sendo determinantes para a sucessão e ocupação das areas.

Os Ipês por exemplo são árvores de estratos alto/dossel  secundárias tardias, o que isso significa?

Basicamente que é uma planta que vai aceitar viver uma parte da sua vida em baixo das outras, mas seu objetivo é subir para ocupar seu espaço no estrato alto. Uma grande parte da sua vida o Ipê irá viver embaixo de um mamoeiro ou uma embaúba, pois são pioneiras, por exemplo, mas seu crescimento irá ultrapassar essas outras emergentes e quando isso acontecer as emergentes pioneiras não terão mais seu lugar ao sol.

A classificação sucessional da planta normalmente determina a velocidade de crescimento e a sua capacidade de viver os primeiros anos na sombra, uma pioneira só irá germinar em clareiras ou espaços que ainda não tenham a floresta desenvolvida, de contra partida uma secundária inicial aceitará a sombra que as pioneiras geram para germinar e crescer, e assim sucessivamente.

Pensando na regeneração natural a semente germina em um lugar que já existem Pioneiras, esse solo já está melhor preparado para receber as Secundárias, que irão crescendo em baixo das Pioneiras porém com a sucessão temporal irão ocupar o lugar das Pioneiras e assim as pioneiras saem do sistema.

Entender cada árvore sua classificação sucessional e seu estrato é a chave para otimizar uma agrofloresta, e saber quando é hora de entrar ou sair com algumas culturas.

Uma grande dificuldade que eu tenho é saber qual é o estrato e a classificação sucessional de cada planta que eu gostaria de plantar, é sempre um desafio achar material bom com essas informações.

E você concorda? Tem alguma dica?

 

 

 

Pedro Savério Penna

Formado em Ecoturismo e com especialização em Marketing e Negócios, gerencia uma empresa de Pesquisa de Mercado. Vive divido entre São Paulo e Piedade no interior, onde desenvolve seu projeto Agroecológico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *