Meus novos canteiros Agroflorestais

SAF 2 – Implantação da segunda leva de canteiros sintrópicos.

Muita roça pouco blog! Como isso é bom! 😃

A segunda leva de canteiros estão ganhando cara! E com o começo da Primavera e as chuvinhas ajudando as coisas estão indo bem!

Nesse post a minha idéia é contar um pouco como eu fiz esses novos canteiros.

Meu objetivo era ampliar horizontalmente e verticalmente a area então mãos a obra!

Pra começar Calcário! Como já tinha feito a análise de solo, sabia que meu solo está um tanto ácido.

Onde fazer análise de solo?

Fiz a análise no Laboratório Solos e Folhas que é aqui perto, em Sorocaba- solosefolhas@bol.com.br (15)-3227 1120- Sem jabá, mas quando comecei não tinha idéia de onde fazer análise de solo e achava que poderia ser uma coisa cara, então fica a dica do caminho das pedrasConsegui esse contato por indicação e aproveito e indico aqui também! A dica é pedir a análise de micro e macro nutrientes que quando fiz custava R$35,00. Eles aceitam amostras por correios e entregam o relatório por email.

Ler a análise é outro grande desafio e deixo para outro post!

Voltando aos canteiros basicamente descobri que meu solo de pasto de braquiária estava ácido, pobre em Nitrogênio, Fósforo e Potássio. Quem diria?

Quando vi o resultado lembrei do curso do Juã na hora, a recomendação geral que ele passou para terrenos parados sem vida foi:

Pó de Rocha -6Toneladas por Hectare- 6kg por 10 m2 – Objetivo principal: Remineralização de macro e micro nutrientes e controle de acidez.

Cama de Frango- 5 a 10 litros por metro quadrado- Objetivo principal: Nitrogênio no solo

Cinza-1 litro por metro quadrado- Objetivo principal: Fósforo no solo

e

Cobertura de matéria orgânica. 20L por metro quadrado- Objetivo principal: proteção do solo retenção de húmidade e recomposição da vida no solo.

Ou seja basicamente cobriria minhas deficiências se eu seguisse as recomendações dele! Valeu Juã!

Mas primeiro quis testar sem nada, não tinha acesso a tudo isso, e na minha primeira implantação plantei tudo na marra! Com um pouco de calcário, depois de plantar por cima da terra, um pouco de adubo composto e uma cobertura de matéria orgânica que hoje eu chamaria de xexelenta. Foi um aprendizado muito bom, apesar de infelizmente perder algumas mudas no caminho.

saf1
Essa foi a primeira implantação. Na foto o mamão, Eucalipto, bananeira e maria mole florida- espontânea, e na lateral o feijão e milho.

O que vi foi a falta de homogeneidade do plantio como meu terreno é levemente inclinado no fim da descida por assim dizer a terra estava muito melhor e as culturas vingaram sem comparação com as do começo do canteiro.

Agora para a segunda implantação já fiz tudo bem diferente.

Comecei com o Gradão! Que consegui alugado aqui de um vizinho. Como a terra estava muito tempo parada e compactada achei melhor seguir esse caminho. Calcário a lanço e Gradão!

gradaocalcario

Depois entrei com a Encanteiradeira, que essa consegui emprestada aqui.

Ficou assim:

canteiros

Os canteiros com as ruas ficam com 1,5m então estou organizando da seguinte maneira:

canteiro de árvores-  2 canteiros(no meio 3 metros) – canteiro de árvores.

Com relação a adubação estou fazendo o seguinte:

Comprei 1 tonelada de cama de frango!

Que estou usando por cima da terra, pois ainda está meio fresca e não é muito bom incorporar.

Depois consegui uma ótima ajuda aqui para a cobertura de matéria orgânica, que é o substrato de cogumelo.

Tenho um vizinho aqui perto que produz cogumelo, e a sobra de substrato é enorme, e ele não tem destinação apropriada então tenho feito a minha parte nesse elo, e isso tem me ajudado muito! O substrato de cogumelo é uma ótima matéria orgânica e chega para mim muito úmida o que é melhor ainda.

Então cubro os canteiros principais com ela.

Para a parte superior que sei que o solo está pior entrei com Farinha de Osso. Para suprir a deficiência em Fósforo. Principalmente nas covas de mudas.

Para as ruas, folhas minhas e dos vizinhos! 🙂 que tenho coletado e ou braquiária roçada.

A base das minhas linhas de árvores são a banana e o eucalipto como já expliquei ➡️nesse post. Fora eles estou entrando com algumas espécies para madeira e frutíferas.

A base dessa linha é Eucalipto a cada 1,5m- Banana a cada 3m e as outras árvores intercalando a cada 3m.

Para perfurar o solo nos canteiros usamos um perfurador de solo, que consegui alugar na cidade. Foi bem proveitoso e ajudou bastante. Vale um post só sobre ele.

perfurador-de-solo
Na foto, meu pai pondo a mão na massa e suando a camisa com o perfurador.

Como a divisão dos extratos arbóreos é muito importante vou indicar os extratos de cada uma dessas, mas isso é papo para um post inteiro também;)

No intercalar de mudas coloquei:

Mogno Africano- Emergente

Cedro Australiano- Emergente

Araucária- Emergente

Juçara- Alto

Abacate-Médio/Alto

Manga- Alto

Ipe- Emergente

Pupunha-Alto

Palmeira Real-Alto

Nesses canteiros de mudas planto na lateral feijão e milho. Feijão com espaçamento de uns 30cm e um Milho a cada 1m mais ou menos entre mudas.

canteiro2

Nos canteiros do meio, os 2 que dão o espaçamento, estou experimentando diversas culturas.

Algumas com o simples objetivo de acumulação de matéria orgânica outras para alimentação.

Nesses estou plantando:

Girassol, Milho, mandioca, batata doce, arroz de sequeiro, crotalária, capim elefante, capim mombaça, aveia preta e azevem.

Por enquanto, pois ainda quero tentar algumas outras culturas.

Então basicamente meus canteiros tem ficado assim!

Agora é esperar crescer para acompanhar os erros e acertos. E ai o que achou?

 

 

 

 

 

 

Pedro Savério Penna

Formado em Ecoturismo e com especialização em Marketing e Negócios, gerencia uma empresa de Pesquisa de Mercado. Vive divido entre São Paulo e Piedade no interior, onde desenvolve seu projeto Agroecológico.

2 comentários em “Meus novos canteiros Agroflorestais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *